76 anos de Candeias é comemorado pelo MME ao ter contribuído para economia

O MME – Ministério de Minas e Energia – prestigiou os 76 anos do início da indústria nacional do

petróleo, com a presença de Fernando Coelho Filho, ministro de Minas e Energia, em Candeias – 1 da Petrobrás, localizada no Recôncavo baiano no dia 14 de dezembro deste ano. Candeias é o primeiro campo comercial explorado no Brasil, que ainda mantém atividade de extração de petróleo e alcançou uma produção de 34 barris de petróleo por dia, dando rumo a economia do país.

O ministro esteve acompanhado de Márcio Félix, secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível do MME; também junto a Nilo Azevedo, que é Gerente Executivo de Terra e Águas Rasas; o Gerente Geral da Unidade de Exploração e Produção da Bahia, Stênio Galvão; e o Gerente do Ativo de Processamento de Fluidos da Unidade de Exploração e Produção da Bahia, Geraldo Correio, em uma visita a comemoração.

Após prestar um agradecimento feito por todas as oportunidades alcançadas e pela contribuição que Candeias deu a economia do Brasil, o ministro destacou que “as maiores entregas que o governo terá ao longo do período de 1 ano e 11 meses que virão do Ministério de Minas e Energia, será a retomada da produção de gás e óleo no país: nós retornamos com o calendário de leilões em 2017, que por sinal foi satisfatório”, relembrou ao dizer sobre os esforços que o governo vem fazendo diante da renovação do Repetro pelo Congresso Nacional.

Também foi destacado pelo ministro o grande interesse demonstrado pelas empresas “que escolheram por retornar os investimentos no Brasil, além da Petrobras que realizou diversos investimentos como foi visto nesses últimos dois leilões realizados de uma forma mais firme. Os brasileiros não fazem ideia do que leilões significará para a economia do país; a maioria das pessoas só veem um monte de assinaturas, sendo R$ 6 bilhões, um número que expressa muito dinheiro, contudo, essa é apenas a ponta desse grande iceberg que virá convertido em royalties, impostos, mais empregos e também geração de mais serviços”.