Especialista ensina como introduzir a educação financeira na vida das crianças

A árdua tarefa dos pais em criar e ensinar os filhos não se limita apenas aos conceitos morais e éticos visados por eles, mas também na formação de cidadãos conscientes e responsáveis. Sendo assim, ensinar valores sobre economia para crianças é muito importante para que ela cresça e saiba o que é consumo consciente e tenha bons hábitos financeiros quando for adulta.

Contudo, nem sempre é fácil ensinar as crianças sobre conceitos que muitas vezes não é nem praticado pelos pais, sendo esse o primeiro erro na educação das crianças. A educação financeira deve ser apresentada às crianças de uma forma simples que elas possam compreender, como o próprio exemplo dado pelos pais.

A especialista em educação financeira infantil, Cássia D’Aquino, explica que o momento certo e mais oportuno para ensinar as crianças sobre economia é quando elas questionam conceitos relacionados a dinheiro ou ainda pede que os pais compre algo que ela queira. Cássia explica que esses atos começam a aparecer a partir dos dois anos e meio, sendo o momento determinante em que a criança identifica que o dinheiro compra coisas.

A especialista ainda explica que as atitudes simples garantem mais eficiência no aprendizado das crianças, por isso é importante não se aprofundar em temas complexos e usar termos difíceis. A criança absorverá melhor as informações se os pais utilizarem palavras de seu cotidiano e exemplos que façam parte de sua rotina.

Segundo Cássia, assim que a criança demonstrar interesse em comprar algo ou perguntar sobre dinheiro, os pais podem começar a introduzir os conhecimentos sobre educação financeira através de situações simples, como explicar a criança que há coisas que os pais compra porque precisam e há coisas que eles compram porque querem. Esse é o primeiro passo para que a criança entenda que há gastos essenciais e gastos dispensáveis em um orçamento familiar.

Outra dica dada pela especialista é levar a criança para realizar compras no supermercado e informá-la sobre o leite que está mais caro ou o pão que está mais barato. Dessa forma a criança entende que há variações de preços entre os produtos, e estabelece categorias como “precisar e querer”, “barato e caro”, entre outras coisas comuns do dia a dia.

A especialista aconselha que a criança seja instruída gradualmente, sendo assim, a cada fase de entendimento da criança um novo conceito deve ser apresentado. De forma gradual, os pais devem explicar o que são hábitos de consumo consciente, o que é renda mensal, e ainda o que é poupança. Todos esses conceitos compõem uma educação financeira efetiva para um futuro promissor.