Com entrada de importadores, dólar finalmente subiu, após 7 pregões em queda

Logo no começo da segunda semana do mês de setembro deste ano, 2017, após uma já costumeira queda frequente, o dólar americano enfim fechou em alta, mais precisamente na segunda-feira, 11. E essa inversão à queda que ocorria, com a subida em questão, durante a tarde daquele dia, deu-se frente a uma entrada massiva de fluxo de importadores, segundo com profissionais desse mercado em questão. Isso sem contar, é claro, um movimento técnico ocorrido no sentido de zeragem de posições.

Àqueles que se beneficiam com uma alta dessa moeda, a notícia não poderia ser melhor, já que ela veio só depois de consecutivos sete pregões de queda, com o tal avanço do dólar, que, no patamar de R$ 3,08, enfim encontrou suporte. E o fato dessa alta ter ocorrido no turno da tarde, por despertar certa curiosidade, foi então logo explicada por Ricardo Gomes da Silva, que é o diretor da Correparti. Segundo ele, não ocorreu nenhum movimento comprador pela turno matutino, posto que operava ainda na expectativa o importador, com o intuito de verificar qual seria a leitura feira pelo mercado quanto aos acontecimentos políticos do último final de semana. Assim, ele reforçou, por fim, que o importador só pôde encontrar espaço para a realização de alguma compra, apenas depois de constatada manutenção do dólar no patamar dos R$ 3,08, graças ao otimismo, ele então encontrou espaço para realizar alguma compra.

Apesar de ter o movimento de compra impulsionado o dólar americano até o patamar de R$ 3,10, Gomes da Silva adverte que “este nível não deve ser facilmente ultrapassado”, afinal, o atual permitiria uma abertura de espaço para venda de exportador. E ele ainda reforça que ser esse um patamar tido, ao menos entre os investidores, como sendo bem confortável.

Outro especialista, nesse caso o operador da corretora Multimoney, chamado Durval Corrêa, por sua vez, observou quanto à existência de um movimento de zeragem de posições. Segundo Côrrea, durante o turno da manhã, houve realmente muita entrada de “investidor estrangeiro com destino à bolsa”, e isso, inclusive, teria chegado ao nível de ser considerado um patamar histórico. Todavia, logo depois desses ganhos exagerados, pôde-se verificar vários deles então zerando posições, o que, por consequência, terminou por contribuir para esse movimento em questão de alta do dólar, destacou o operador consultado.