Como organizar as prioridades de uma poupança familiar e alcançar todas as metas

Poupar dinheiro para si mesmo já é bastante difícil, mas quando se trata da economia e o orçamento de uma família, as coisas podem ficar ainda mais complicadas. Você deve escolher entre as oportunidades e os desejos de curto prazo contra os objetivos de longo prazo, e ainda lutar contra as despesas inesperadas que aparecem regularmente em uma família.

Tudo isso pode parecer complicado, mas é possível com um pouco de planejamento. Pensar em como priorizar esses objetivos pode ajudá-lo a criar um plano que cubra as necessidades de sua família, deixando espaço para poupar e gastar em férias e outras coisas divertidas.

Primeiro, crie um fundo de emergência

Você nunca sabe o que vai acontecer: seu animal de estimação pode ficar doente, você ou um membro da família pode ter um acidente, você pode ser demitido inesperadamente. É por isso que é importante reservar dinheiro para emergências. Os especialistas recomendam que você poupe pelo menos três meses de despesas em um fundo de emergência. Se, no entanto, você ou seu cônjuge são trabalhadores autônomos ou possuem uma renda imprevisível, você pode considerar economizar ainda mais.

Em seguida, considere as prioridades a longo prazo

Pode parecer distante, mas os planejadores financeiros recomendam que primeiro entre seus objetivos de longo prazo, priorize a poupança para a aposentadoria, mesmo antes da poupança para os estudos de faculdade dos seus filhos. Lembre-se: os alunos têm acesso a uma grande variedade de financiamentos, mas não há empréstimos para os pais aposentados.

Em seguida, guarde para a taxa de matrícula da faculdade de seus filhos. Agora você pode considerar outras prioridades a longo prazo, se a sua família tiver alguma. Uma prioridade familiar comum é cuidar de pais idosos. Se essa responsabilidade cai sobre você, pense em maneiras de reduzir custos, como compartilhar sua casa com seus pais, que além de economizar irá te aproximar deles.

Avance para metas de curto prazo

Uma vez que você determina suas prioridades de longo prazo, você pode passar para metas de curto prazo. Comece por fazer uma lista de metas para você e sua família nos próximos cinco anos. Sua lista pode incluir coisas como férias, carros novos, reformas e casamentos.

Você pode abrir uma conta poupança dedicada a cada um desses itens. Veja se seu banco permite que você abra subcontas separadas em sua conta de poupança principal. Fazer isso ajuda você a se concentrar em alcançar cada objetivo. Faça contribuições semanais ou mensais depois de manter a sua poupança de longo prazo.

 

800 mil famílias forão inclusas no bolsa família em Agosto

O ministro do Desenvolvimento Social, Osma Terra, disse que a fila foi zerada no mês de agosto e o governo incluiu 800 mil famílias para receberem o benefício. Em entrevista o ministro disse que os dados dos cadastros sociais do governo colaborou no corte de 1 milhão e meio de beneficiários indevidos. “Vamos tentar garantir que os programas de transferência de renda sobrevivam aos cortes do governo”, disse Terra.

O Bolsa Família é um programa que transfere uma renda direta as famílias que vivem em situação de pobreza e de extrema pobreza no Brasil. O programa busca a garantia que essas famílias possam ter acesso à saúde e educação. No Brasil, chegam a 13 milhões o número de famílias com direito ao benefício. As pessoas que podem participar do programa são as com renda per capita de até R$ 85,00 consideradas extremamente pobres, as que possuem renda per capita de R$ 85,01 a R$ 170,00 consideradas pobres. Os participantes devem ter de 0 a 17 anos.

Foi realizado um verdadeiro pente fino no benefício e o governo descobriu que haviam até prefeitos recebendo o bolsa família e foram encontrados também problemas em outros cadastros.

Um levantamento apontou irregularidade de 85% nos beneficiados por auxílio-doença, e a economia que gerou nesse corte chega a R$ 10 bilhões segundo o ministro. Aproximadamente 1,6 milhão de pessoas recebiam o Bolsa Família sem revisão nenhuma a mais de 2 anos. No caso do BPC o Benefício de Prestação Continuada, que atende os idosos e pessoas portadoras de deficiência, os beneficiados já falecidos chegam a 17 mil pessoas. Só no mês de julho o corte de beneficiados chegou a R$ 543 mil reais.

O corte permitiu o governo poupar o valor de R$ 600 milhões de reais. O ministro também disse que haverá a inclusão produtiva nos beneficiados do Bolsa Família e o projeto pretende ofertar cerca de 4 bilhões em microcréditos as famílias.