Niterói Que Queremos – Prefeitura cria metas para melhorar a qualidade de vida por Felipe Montoro Jens

Com o intuito de promover melhorias para a qualidade de vida dos habitantes de Niterói, no Rio de Janeiro, a prefeitura local visa estabelecer mais de 30 metas até 2020. Felipe Montoro Jens, especialista em Projetos de Infraestrutura, reportou que no final do mês de junho a prefeitura apresentou os projetos para os anos de 2017 a 2020.

Dentre os 34 tópicos do planejamento estratégico que integram o plano “Niterói Que Queremos” estão a urbanização de três das mais populosas comunidades do município: a Vila Ipiranga e os morros do Estado e Preventório; a revitalização da Orla Charitas; a municipalização do Complexo Esportivo Caio Martins; o desenvolvimento de parques nas lagoas de Piratininga e Itaipu; e a efetivação de Parcerias Público-Privadas (PPPs) para o desenvolvimento de projetos.

De acordo com os dados levantados por Felipe Montoro Jens, nas propostas estipuladas para a segunda fase do plano que vai de 2017 a 2020 estão algumas ações que envolvem mobilidade, transporte público e saúde. Entre os projetos estão a modernização e a expansão da maternidade municipal Alzira Reis; o desenvolvimento do programa de saúde Remédio em Casa; a atualização e a reforma da Praça Araribóia, localizada no centro da cidade; o planejamento preventivo à ocupação irregular; a conclusão da segunda fase da Transoceânica, por meio da implantação do corredor de ônibus BHS; melhorias voltadas ao transporte público; e a implantação de aproximadamente 100km de malha para a construção de ciclovia, sendo 57km na Região Oceânica.

Felipe Montoro Jens recorda que o plano estratégico “Niterói Que Queremos”, composto por projetos, metas e indicadores a curto, médio e longo prazo, foi iniciado em 2013. Os planejamentos para o desenvolvimento de Niterói contem ações destinadas ao progresso da cidade para os próximos 20 anos. Ações estas que irão preparar o município para enfrentar os desafios atuais e os futuros até o ano de 2033.

Durante a primeira etapa do plano NQQ, que ocorreu de 2013 a 2016, foram estabelecidas 32 propostas. Segundo Felipe Montoro Jens, alguns destes projetos foram postergados para a segunda fase do plano, como a criação do Mercado Municipal Sodré e o desenvolvimento do VLT entre Charitas e o centro da cidade. Os projetos terão inicio ainda em 2017, revelou o atual prefeito Rodrigo Neves.

O político, reeleito em 2016 para dar continuidade a seu trabalho na direção da prefeitura do município, afirmou que providencias já foram tomadas quanto ao início dos estudos para a realização de algumas das importantes ações descritas no plano Niterói Que Queremos. “Já lançamos o edital para o estudo, que apontará as melhores alternativas para a revitalização, a reforma do prédio e a gestão do Mercado Municipal, que concluiremos no mês que vem. Até o fim do ano faremos o estudo para a implantação do VLT”, destacou o prefeito.

O período de duração com datas de início e término de cada projeto, a ser realizado de acordo com o planejamento estratégico NQQ, será divulgado pela administração da cidade, conforme informações noticiadas por Felipe Montoro Jens.