Pesquisa revela queda nas vendas de carros novos em julho em comparação a junho

Image result for carro zero

Os resultados das vendas de veículos novos vem oscilando, sendo refletido nos gráficos que demonstram as vendas desse setor. As pesquisas que são feitas permitem uma comparação das vendas dos meses anteriores, e também sobre as vendas da mesma época do ano passado. Isso mostra a atenção desse segmento, em ver o cenário em geral e a situação atual deste setor no mercado. Os dados recentes mostraram um aumento das vendas, mas em relação aos meses de maio e junho desse ano, os números nas vendas apresentaram uma queda em julho em comparação ao mês de junho.

Na pesquisa feita pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) e divulgada no início de agosto, os números mostraram uma queda de mais de 5% nas vendas em julho, com a venda de automóveis zero quilômetro chegando à quase 179 mil, quando no mês de junho foram quase 189 mil veículos vendidos.

Segundo ainda a Fenabrave, em julho do ano passado, foram comercializados em torno de 175 mil veículos novos, enquanto que esse ano foram 179 mil, mostrando um aumento de mais de 2% nas vendas. Em um panorama geral, esse ano os números estão melhores do que em relação às vendas de 2016, se compararmos os mesmos períodos. O crescimento mesmo que lento, está mostrando que o mercado está reagindo, e que a melhora da economia, está fazendo com que o número de desempregados se mantenha estável, e que algumas vagas desse setor já estão sendo preenchidas, e que os clientes, estão aproveitando as promoções desse setor.

As pesquisas também mostraram, que as vendas de  veículos seminovos  tiveram um crescimento, chegando nos primeiros quatro meses de 2017, com um aumento de 6%, e o crescimento no mês de junho, chegou à quase 10%, em comparação com o mesmo mês do ano anterior.

Este setor está com expectativas de que o mês de agosto, feche com números positivos devido à redução da taxa de juros da Selic, fazendo com que o número de financiamentos aumentem, já que os bancos têm sido mais exigentes ao conceder esses tipos de créditos, devido ao crescente números de inadimplentes causados pela crise financeira, que o país vem atravessando nos últimos anos. Mas lentamente se observa que essa instabilidade está melhorando, e que a confiança está crescendo nesse setor.