Inadimplência atinge milhões de brasileiros. Como sair dessa situação?

Com o país enfrentando problemas, o desemprego e a recessão econômica contribuem para a geração de dívidas, que se não forem pagas na data do seu vencimento colocam o devedor na posição de inadimplente. Mas, o que isso significa na prática?

A inadimplência do consumidor, que já tinha sido alta no ano de 2016, cresceu ainda mais em 2017, tendo superado os valores do ano anterior, antes mesmo de atingir o meio do ano. Esse problema traz grandes transtornos para os devedores, que precisam enfrentar uma série de consequências, como a restrição ao crédito, por exemplo.

Consequências de estar inadimplente

O consumidor que deixa de pagar as contas em dia, além de estar com a vida desorganizada, também pode ter seu nome negativado, sendo incluído no cadastro de maus pagadores do Serasa.

Mesmo que não tenha o seu nome negativado, o consumidor que não paga as suas dívidas em dia é obrigado a pagar multas e juros, que vão se acumulando até que a situação fique cada vez mais difícil.

Quando o problema se agrava, além de ter o nome sujo, o mau pagador também pode enfrentar uma série de transtornos, enfrentando a possibilidade de ter seus bens, como imóveis e carros, penhorados.

 Dicas para se livrar da inadimplência

  • 1. Consulte o site do Serasa Consumidor para verificar se o seu nome está negativado. Se estiver, consulte as dívidas cadastradas e procure liquidar esses pagamentos primeiro, pois, com o nome negativado fica muito mais difícil conseguir obter crédito no mercado.
  • 2. Mesmo se não estiver negativado, verifique a sua pontuação no Serasa Score para saber quais são as suas chances de conseguir crédito ou financiamento para quitar as dívidas.
  • 3. Se estiver com o nome sujo, procure o Limpa Nome Online, e verifique qual a proposta do credor para a renegociação das suas dívidas em atraso.
  • 4. Antes de fazer a renegociação de suas dívidas, ou de solicitar um novo financiamento, faça os cálculos de quanto você terá disponível por mês para pagar as prestações. Não adianta nada trocar a dívida, se você não tiver condições de pagar em dia o novo parcelamento.
  • 5. Se tiver algum dinheiro para receber, como Fundo de Garantia ou Férias, procure usar o valor para quitar ou amortizar as dívidas. Desta forma, você reduz a dívida e ainda deixa de pagar grandes somas com os valores dos juros.
  • 6. No site do Serasa Consumidor você tem acesso a um e-book gratuito sobre “Como se preparar para a renegociação de dívidas”. Nele há diversas dicas para quem deseja fazer uma boa renegociação, para sair logo da inadimplência.