Taxa de inflação no Reino Unido atinge o nível mais alto desde setembro de 2013

Resultado de imagem para Taxa de inflação no Reino Unido atinge o nível mais alto desde setembro de 2013

A taxa de inflação do Reino Unido subiu em abril de 2017 para o maior nível desde setembro de 2013, segundo dados oficiais. A inflação está agora em 2.7% – acima de 2.3% em março – e acima da meta do Banco da Inglaterra 2%.

A principal razão foi o aumento na tarifa aérea, que subiu posterior à Páscoa este ano em comparação com 2016. Os aumentos dos preços do vestuário, do imposto especial sobre veículos e da eletricidade, também contribuíram com o aumento da inflação, mas uma queda no preço da gasolina e do gasóleo compensou ligeiramente esta situação.

No começo do mês de maio, o Banco da Inglaterra alertou que a inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) , atingiria um pico abaixo de 3% este ano. Ele também alertou que 2017 seria “um momento mais desafiador para as famílias britânicas” com a inflação subindo e os salários reais caindo – levando a um esvaziamento dos gastos dos consumidores.

O salário, incluindo os bônus, subiu a uma taxa anual de 2,3% em três meses até fevereiro deste ano, de acordo com o Escritório de Estatísticas Nacionais (ONS). Os dados mais recentes sobre o crescimento dos lucros devem ser divulgados no final do mês.

A ONS disse que o custo das viagens aéreas subiu 18,6% em relação ao mês anterior, porque a Páscoa caiu no dia 16 de abril deste ano, e no ano passado o feriado foi comemorado no dia 27 de março. Essa diferença fez com que o custo ficasse mais elevado.

O preço das roupas saltou para o nível mais alto durante seis anos, com um aumento de 1,1% entre março e abril. Os preços da eletricidade e dos alimentos também subiram, mas houve quedas no custo do gás, gasolina e diesel.

O Índice de Preços de Retalho (RPI), uma medida separada da inflação que inclui o imposto municipal e pagamentos de juros de hipoteca, atingiu 3,5% no mês passado, em comparação aos 3,1% em março. A nova medida de inflação preferencial do ONS, que contém uma medida dos custos de habitação, subiu para 2,6% em abril em relação a 2,3% em março.

Chris Williamson, economista-chefe de negócios dos analistas IHS Markit, disse: “O momento da Páscoa parece ter desempenhado um papel importante na elevação da inflação em termos ano-a-ano. “Mas a depreciação da libra esterlina desde o referendo em junho do ano passado também é claramente um fator significativo, levando os preços para as importações e provavelmente acumulando mais pressão de alta sobre os preços no consumidor nos próximos meses”.

“Há, no entanto, sinais de que a inflação poderia talvez subir menos do que muitos temiam”. “Os dados da pesquisa já estão mostrando que os custos das empresas estão subindo a uma taxa mais lenta do que no início do ano, e as últimas semanas viram alguma flexibilização dos preços globais das commodities, notadamente do petróleo”.

Suren Thiru, diretor de Economia das Câmaras de Comércio Britânicas, disse: “As empresas continuam relatando que os aumentos substanciais no custo das matérias-primas e outros gastos gerais no ano passado ainda estão filtrando pela cadeia de suprimentos e, portanto, isso poderia elevar os preços dos produtos nos próximos meses.

“No entanto, continua a ser provável que o atual período de inflação acima do objetivo é de natureza transitória, com poucas evidências de que o crescimento dos preços mais elevados está se igualando no crescimento salarial mais elevado”. “Isso deve dar ao Banco da Inglaterra espaço suficiente para manter as taxas de juros em espera por algum tempo ainda, apesar de seu recente aviso.”