Aneel aciona bandeira vermelha para maio

Resultado de imagem para Aneel aciona bandeira vermelha para maio

Nesta sexta-feira 28, o portal da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou bandeira vermelha para o mês de maio. A bandeira vermelha terá o patamar 1, com o custo de R$3,00 a cada 100 kWh (quilowatts-hora). A indicação das bandeiras opera de acordo com a disponibilidade da produção de energia no país. O sistema sinaliza três categorias de bandeiras: verde, amarela e vermelha.

A bandeira verde indica que as condições de produção de energia no país encontram-se favoráveis, portanto, não incide cobrança adicional de tarifa. A bandeira amarela já indica um estado de alerta na geração de energia, apontando condições menos favoráveis, incidindo uma tarifa de R$2,00 para cada 100kWh, já a bandeira vermelha sinaliza um estado crítico de geração, patamar 1 cobra-se R$3,00 cada 100kWh e patamar 2, R$3,50 cada 100 kWh.

Na bandeira vermelha a Aneel aciona as usinas termoelétricas que proporcionam um custo maior na produção de energia. Além do valor monetário, existe o custo ambiental deste tipo de usina por causa da emissão de carbono na atmosfera. No mês de março deste ano foi acionada bandeira amarela, nos meses de abril e maio bandeira vermelha. Assim, temos um indicativo que o custo de produção de energia no país vem aumentando e as condições de geração não tem sido favoráveis.

A matriz energética do Brasil

As usinas hidroelétricas são responsáveis por 77,1% da produção de energia no país. Este tipo de usina demanda o represamento de rios, e os níveis deles são alterados durante o ciclo das chuvas. O Brasil conta com 140 usinas hidroelétricas em operação. O Plano Decenal de Energia prevê que até o fim do ano o país tenha 71 novas usinas com o potencial para gerar 29.000 MW.

Segundo o portal do Governo, o Brasil possui uma matriz energética renovável, aponta que 45,3% da produção energética é proveniente de recursos hídricos, biomassa e etanol, além das solares e eólicas. O Governo conta um programa de incentivo às fontes alternativas de energia elétrica (Proinfa). Este programa visa investir em projetos de geração que reduzam a emissão de gases de efeito estufa.

No país hoje existem 36 usinas eólicas em operação distribuídas em vários estados, ao todo podem produzir até 602.284 kW de energia limpa. O Proinfa conta com um investimento de R$ 4,6 bilhões para expansão das fontes de energia eólica, prevendo a implantação de 144 usinas.

Para maiores informação sobre a matriz energética brasileira acesse o portal do Governo Federal.