Superando os desafios logísticos, obra da Construcap foi premiada internacionalmente

No Brasil, em se tratando de grandes obras, não são raros os casos em que sobram críticas e faltam elogios, pelos mais diversos motivos. Assim, é de surpreender aos leigos na área que existam obras nacionais sendo premiadas, ou até que existam premiações do tipo.

Pois fique então sabendo que um empreendimento brasileiro, mais especificamente a fábrica da Fiat em Goiana (PE), após um período de 26 meses de construções, foi coroado, tempos atrás, com o prêmio que alguns até chamam de “Oscar da construção civil”. Tal prêmio foi o ENR Global Awards 2015, que é concedido todo ano pela revista Engineering News Record.

Esse empreendimento vencedor, que é fruto da parceria entre a brasileira Construcap, como líder do Consórcio, e a construtora americana Walbridge, foi julgado e então vitorioso com base em critérios como logística e inovação, além de considerações sobre a dificuldade da construção, bem como da própria execução das obras e também dos prazos.

Quanto mais desafios, maior o mérito de quem os vence

É certo que uma obra, para receber tamanho prêmio, deve possuir algum diferencial, obviamente. No caso da fábrica da Fiat construída pela Construcap, o destaque já começa desde as dimensões. Em sua área de implantação total, em Goiana (PE), com 3,6 milhões de metros quadrados, só de área construída foram, ao todo, 747.000 metros quadrados.

E quanto maior é a obra, mais trabalhoso é construí-la, obviamente. Todavia, os desafios não ficaram só por aí. Também foi dificultoso o empreendimento, tanto a nível de logística quanto de fornecimento de materiais, por conta da localização remota do local escolhido para a construção, que era muito distante dos fornecedores.

No entanto, foram esses tipos de desafios que favoreceram o destaque que teve a Construcap e sua parceira, pois como bem lembra John Linenberg, assistente da vice-presidência de engenharia da Walbridge, o empreendimento foi marcado por dificuldades.

Assim, segundo ele, foi necessário fazer um planejamento bem minucioso de toda a obra, para poderem superar aquela realidade interiorana, onde se encontravam a duas horas de distância da cidade mais próxima.

Diante dessa situação, o processo de logística teve então de ser acompanhado durante todo o tempo, para que a obra pudesse continuar, ainda que, por exemplo, o fornecedor de aço estivesse há dois quilômetros dali. Também tinham, é claro, que cumprir com os prazos já estabelecidos. Mas, felizmente, a obra foi um sucesso e até rendeu honrarias.

Em meio à obra, a Construcap promoveu também capacitação e “intercâmbio”

Como já de costume para a construtora, que sempre aposta nesse tipo de iniciativa que de fato retorna benefícios à mesma, durante a obra da fábrica da Fiat em Goiana (PE), ela idealizou e pôs em prática dois programas de capacitação para os seus funcionários.

O primeiro teve como foco o próprio canteiro de obras, voltando-se à execução dos projetos, mas o segundo, por sua vez, foi executado no próprio escritório central da construtora, focando então nos serviços técnicos por lá realizados.

Com tal programa, a Construcap termina por promover uma melhor adequação dos seus projetistas e engenheiros ao que há de mais moderno no mercado, tornando-os assim antenados às tendências tecnológicas de suas respectivas áreas.

Além das capacitações, como consequência da parceria entre uma empresa brasileira e outra americana, as obras promoveram uma situação de “intercâmbio”, por numa mesma obra se encontrarem pessoas falando português, inglês e italiano.

No entanto, segundo ainda John Linenberg, essa questão foi, ao menos a princípio, mais um desafio que teria de ser superado por eles. E como realmente foi superado, após elaborarem uma forma de favorecer a comunicação entre todos, ele ainda pôde concluir que isso só fez engrandecer ainda mais o esforço em conjunto do consórcio, ou melhor dizendo, enriquecer o case de sucesso.