Já pensou em ser um empreendedor exportador?

Seu talento no empreendedorismo agora pode ganhar o mundo. Chegou a hora de fazer valer todo seu know-how adquirido no mercado regional – ou até mesmo nacional – para que sua marca se estabeleça também no mercado internacional. Veja a seguir algumas razões para sua empresa investir na exportação e dar mais um passo na internacionalização de seus produtos.

Por que devo exportar?

Um dos motivos está na facilidade de contato entre clientes e empresas de muitas regiões do globo. A tecnologia da comunicação de hoje ignora barreiras geográficas, que antes eram um dos impeditivos para o empreendedor e que na atualidade se tornam irrelevantes para quem quer se tornar conhecido no mercado estrangeiro pelo universo digital.

Outra vantagem é poder contar com o papel do governo nessa área, que tem incentivado a expansão do comércio exterior, com vistas ao equilíbrio da balança comercial e ao aumento de sua base exportadora. Mas não para por aí. Confira abaixo outros benefícios ao se tornar um empreendedor exportador:

Ampliação de mercado

Além de poder conquistar novos clientes, a exportação permite minimizar as sazonalidades do mercado nacional, que podem ser equilibradas no contraponto exterior. Além de manter o fluxo de vendas, essa ampliação garante maior segurança comercial pela diversificação de público e de mercado.

Crescimento da produção

Havendo mais mercado e mais fluxo de vendas, a produção necessariamente deverá crescer. E esse crescimento naturalmente exigirá do empreendedor a otimização dos recursos e dos custos necessários ao atendimento de novas demandas, levando-o à melhoria dos processos de produção. Tamanho esforço conjunto resultará em maior rentabilidade ou poder de negociação com fornecedores.

Padrão internacional de qualidade

Chegar ao mercado externo certamente exigirá o atendimento a certos requisitos e normas vigentes e comuns nessa modalidade. Ao tornar seu produto enquadrado nessas normas, sua empresa e seus processos não só melhoram, mas também alcançam padrões internacionais de qualidade. Nesse ponto, o avanço qualitativo será sinônimo de avanço tecnológico.

Tributação reduzida

Incentivos fiscais são, aos olhos do governo, essenciais para o empreendedor exportador. Colaborando para a competitividade naquele mercado, alguns impostos deixam de ser recolhidos: COFINS, IOF, IPI e PIS.

Reconhecimento da marca

Com as melhorias ocasionadas pelo processo de exportação, a relevância da marca também recebe valorização interna e externa. É um reconhecimento da qualidade chancelada por mercados exigentes e disputados por empresas de referência.

Posso aprender a exportar?

É possível compreender melhor o mundo da exportação com o portal Aprendendo a Exportar. O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) disponibiliza um conteúdo online com orientações e simulações dos procedimentos operacionais de exportação, esclarecendo detalhes, relacionando entidades e ferramentas de apoio e oferecendo acesso à central de atendimento Comex Responde. Todo o conteúdo é gratuito, e há ainda abordagens específicas para algumas áreas temáticas. Veja:

  • Alimentos
  • Artesanato
  • Confecções
  • Calçados
  • Exportação e Cooperativismo
  • Exportar para a União Europeia
  • Flores e Plantas ornamentais
  • Gemas, Joias e Afins
  • Máquinas e Equipamentos
  • Móveis
  • Pescado

O mercado internacional está cada vez mais aberto, e a informação, cada vez mais acessível. Com tantas razões para se tornar um empreendedor exportador, está lançado mais um novo desafio para o crescimento de sua empresa e para a internacionalização de sua marca.