BNDS prepara leilões para empresas de saneamento

As empresas de saneamento básico serão privatizadas ou cederão as concessões para o capital privado em diferentes estados segundo o BNDS, saiba mais.

Marina Silva Bastos Marques, presidente do BNDS – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social informou que os editais para concessões e/ ou privatizações das empresas de saneamento básico nos estados de Alagoas, Amapá, Maranhão, Pernambuco e Sergipe.

Segundo Marina Silva que os primeiros editais serão lançados provavelmente na sexta – feira dia 25 de fevereiro e que a data depende apenas de alguns trâmites burocráticos. O anúncio foi feito durante uma reunião na terça – feira dia 21 de fevereiro em Brasília que contou com o presidente Michel Temer e os ministros da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco e o Ministro da Fazenda Henrique Meirelles.

Como está o projeto?

Não é de hoje que as privatizações/ concessões estão na pauta do BNDS, o qual pré – qualificou consórcios de consultores para ajustar os projetos. Essa será a etapa em que serão feitos estudos técnicos e a seleção dos consórcios participantes dos leilões. Também serão sugeridos modelos ideais de desestatização indicado.

Caso os projetos forem acatados, o passo seguinte é o lançamento dos editais para execução da concessão. Ao fim dessa etapa, será feito o leilão nos modelos finais. Poderá ser uma parceria, privatização ou concessão. “ Cada estado terá um modelo diferente pois cada estado tem uma situação diferente”, afirmou a presidente do BNDS.

O prazo da concessão será diferente conforme o estado e o modelo adotado, porém é certo que gire em torno dos 20 anos. Ela completou que serão, pelo menos, quatro editais devem ser lançados.

Futuros projetos

Marina Silva afirmou à imprensa que o BNDS também deve promover os leilões das distribuidoras de energia e da Loteria Instantânea Exclusiva (Lotex) – uma das vertentes da Caixa Econômica Federal.

Além desses, o banco também tratará das empresas e resíduos sólidos, além das distribuidoras estaduais de gás. Até o momento não foram revelados detalhes a respeito de como será a atuação do banco nos temas. Resta esperar sobre novidades sobre as privatizações e se elas serão interessantes para o mercado.

 

Já pensou em ser um empreendedor exportador?

Seu talento no empreendedorismo agora pode ganhar o mundo. Chegou a hora de fazer valer todo seu know-how adquirido no mercado regional – ou até mesmo nacional – para que sua marca se estabeleça também no mercado internacional. Veja a seguir algumas razões para sua empresa investir na exportação e dar mais um passo na internacionalização de seus produtos.

Por que devo exportar?

Um dos motivos está na facilidade de contato entre clientes e empresas de muitas regiões do globo. A tecnologia da comunicação de hoje ignora barreiras geográficas, que antes eram um dos impeditivos para o empreendedor e que na atualidade se tornam irrelevantes para quem quer se tornar conhecido no mercado estrangeiro pelo universo digital.

Outra vantagem é poder contar com o papel do governo nessa área, que tem incentivado a expansão do comércio exterior, com vistas ao equilíbrio da balança comercial e ao aumento de sua base exportadora. Mas não para por aí. Confira abaixo outros benefícios ao se tornar um empreendedor exportador:

Ampliação de mercado

Além de poder conquistar novos clientes, a exportação permite minimizar as sazonalidades do mercado nacional, que podem ser equilibradas no contraponto exterior. Além de manter o fluxo de vendas, essa ampliação garante maior segurança comercial pela diversificação de público e de mercado.

Crescimento da produção

Havendo mais mercado e mais fluxo de vendas, a produção necessariamente deverá crescer. E esse crescimento naturalmente exigirá do empreendedor a otimização dos recursos e dos custos necessários ao atendimento de novas demandas, levando-o à melhoria dos processos de produção. Tamanho esforço conjunto resultará em maior rentabilidade ou poder de negociação com fornecedores.

Padrão internacional de qualidade

Chegar ao mercado externo certamente exigirá o atendimento a certos requisitos e normas vigentes e comuns nessa modalidade. Ao tornar seu produto enquadrado nessas normas, sua empresa e seus processos não só melhoram, mas também alcançam padrões internacionais de qualidade. Nesse ponto, o avanço qualitativo será sinônimo de avanço tecnológico.

Tributação reduzida

Incentivos fiscais são, aos olhos do governo, essenciais para o empreendedor exportador. Colaborando para a competitividade naquele mercado, alguns impostos deixam de ser recolhidos: COFINS, IOF, IPI e PIS.

Reconhecimento da marca

Com as melhorias ocasionadas pelo processo de exportação, a relevância da marca também recebe valorização interna e externa. É um reconhecimento da qualidade chancelada por mercados exigentes e disputados por empresas de referência.

Posso aprender a exportar?

É possível compreender melhor o mundo da exportação com o portal Aprendendo a Exportar. O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) disponibiliza um conteúdo online com orientações e simulações dos procedimentos operacionais de exportação, esclarecendo detalhes, relacionando entidades e ferramentas de apoio e oferecendo acesso à central de atendimento Comex Responde. Todo o conteúdo é gratuito, e há ainda abordagens específicas para algumas áreas temáticas. Veja:

  • Alimentos
  • Artesanato
  • Confecções
  • Calçados
  • Exportação e Cooperativismo
  • Exportar para a União Europeia
  • Flores e Plantas ornamentais
  • Gemas, Joias e Afins
  • Máquinas e Equipamentos
  • Móveis
  • Pescado

O mercado internacional está cada vez mais aberto, e a informação, cada vez mais acessível. Com tantas razões para se tornar um empreendedor exportador, está lançado mais um novo desafio para o crescimento de sua empresa e para a internacionalização de sua marca.

 

O princípio do prazer e da realidade no mundo dos negócios

Muitas pessoas tentam de maneira equivocada conceituar o que é a felicidade, mas mal sabem que a felicidade é subjetiva, sendo assim impossível de se definir. Estamos em constante modificação e a nossa felicidade simultaneamente.

Vejamos: a felicidade de uma criança é ver seus pais se aproximando com um bonito embrulho de presente nas mãos; a felicidade de uma mãe é ver seus filhos felizes; a felicidade de um trabalhador é um dia de descanso; a felicidade de um chefe de família são contas pagas e comida na mesa; a felicidade de um dedicado estudante é sua aprovação no vestibular.

Em cada momento de nossas vidas almejamos coisas diferentes, estamos em processo constante de evolução, passamos por diversas etapas e em cada etapa algo diferente nos fará feliz.

Ser feliz muitas vezes é uma escolha, ao acordar bata o pé no chão e repita para si mesmo: HOJE EU VOU SER MUITO FELIZ.

Logicamente que nem sempre tudo ocorrera como o previsto, e são nesses momentos que nosso autocontrole, nossa confiança e fé são testados.

A tristeza nada mais é que a ausência de felicidade, isso parece ser obvio e fácil de entender, mas é difícil na pratica preencher nossos momentos com alegria para que a tristeza não preencha essa lacuna.

Comece agora a fazer uma lista do que te deixa realmente feliz, pegue uma folha de papel e nela escreva tudo que te faz bem e roube um sorriso seu. Desde coisas pequenas e simples até sonhos que pareçam ser impossíveis de se realizar. Na maioria das vezes são as coisas mais simples que nos deixam alegres. Nem sempre sucesso econômico significa riqueza material, muitas pessoas não alcançam o sucesso profissional pois não são felizes realizando aquele trabalho. Não sentem prazer profissionalmente. É comprovado de que quando gostamos do nosso trabalho, executamos com muito mais dedicação, comprometimento, tudo fica mais fácil. As vezes as pessoas se fixam tanto pela ideia de ganhar dinheiro, que se perdem no caminho. Deve-se conciliar o princípio do prazer, que é fazer o que se gosta e tem vontade, com o princípio da realidade, que é fazer o que se precisa fazer. Conciliar esses dois princípios fazem de uma pessoa obter sucesso no mundo econômico pois esta pessoa realizará seu trabalho da melhor forma possível. Uma pessoa que vive somente no princípio da realidade também poderá executar seu trabalho da melhor forma, mas não a longo prazo. Chegará em um ponto que essa pessoa se encontrará totalmente insatisfeita tanto na vida pessoal como na vida profissional. A felicidade está diretamente ligada ao mundo dos negócios, pois estes muitas vezes refletem o nosso estado de espírito. Seja feliz fazendo aquilo que te proporciona prazer. Leia também

 

 

5 presentes baratos para o dia das mães

Quando as condições financeiras estão baixas, fica difícil presentear quem a gente ama. As datas comemorativas parecem passar em branco sem um presente, como é o caso do dia das mães, que não é a mesma coisa se não dermos um presente para a nossa mãe. O melhor presente, sem dúvida é o tempo, carinho e amor que dedicamos a quem amamos, esse cuidado é o que verdadeiramente conta, porém, nunca é demais surpreender e presentear.

Para fazer isso de forma barata, sem estourar o orçamento e com um presente que sua mãe irá gostar, confira os 5 presentes baratos que as mães amam.

  1. Livro:

Existem diversos livros, com os mais variados preços. Esse presente além de poder ser muito barato, proporciona presentear alguém com cultura, conhecimento, divertimento, intelectualidade, e uma porção de coisas boas. O melhor desse presente, é que sua mãe irá adorar e você poderá economizar dinheiro.

  1. Flores:

Não só as mães, mas as mulheres, na grande maioria, adoram ganhar flores. Embora as flores sejam mais caras nos dias das mães do que costumam ser em outras datas, este ainda é um presente que é mais barato que um smartphone, por exemplo. As flores são agradáveis, trazem harmonia e vida para um ambiente, sua mãe irá adorar decorar um ambiente da casa com belas flores.

  1. Ingressos:

Elas adoram ganhar ingressos para o teatro ou cinema, esse presente, assim como o livro, também promove muitas experiencias prazerosas para quem o recebe. Além de ganhar ingressos, elas também gostam da companhia dos filhos nesses passeios, por isso vale mais a pena investir em levar a sua mãe para assistir um filme ou uma peça de teatro, do que dar um liquidificador de presente. Para economizar ainda mais com esse presente, você pode escolher uma sessão durante o dia, que costuma ser mais barato, e até mesmo durante a semana, entre segunda e quarta-feira.

  1. Surpresas:

Mais que presentear, surpreender é ainda mais legal e as mães gostam muito mais. Existem diversas maneiras de surpreender, e em se tratando de economizar, você pode aproveitar promoções de spa, massagem, ou fazer algo ainda mais barato, como levá-la para um piquenique. Outra dica de surpresa, são as cestas de café da manhã, que costumam ser baratas, e você pode na verdade, até montar a sua própria cesta, com tudo que sua mãe mais gosta.

  1. Presentes personalizados:

Ainda são os preferidos das mamães, ainda mais se forem feitos pelos filhos. Camisetas, canecas, ou uma bela carta feita a mão, costuma agradar muito mais as mães que muitos presentes caros. Esses presentes não têm apenas o custo com o produto em si ou com o trabalho em fazer, e sim valor sentimental num objeto que sua mãe irá adorar.

Veja também, dicas de presentes criativos para o dia das mães.

 

Flavio Maluf destaca a importância do comércio exterior para o desenvolvimento do país

O comércio exterior ou comércio internacional consiste na troca de produtos e serviços entre diferentes nações. O valor gerado através desse tipo de negociação não pode ser ignorado, já que ela representa uma grande fatia do PIB da maioria dos países.

O PIB (Produto Interno Bruto), mede o valor total dos bens e serviços produzidos por um país em um determinado período, na indústria, serviços e agropecuária, destaca Flavio Maluf. O PIB não é apenas um número, ele é mais do que isso, o PIB nos auxilia a avaliar o estado da economia, como por exemplo, se ela está em crescimento ou se está em recessão, ou seja, ele faz parte da vida de cada um de nós. Dessa forma, se um país exporta um grande volume de bens e serviços, isso acaba se refletindo no PIB.

Para que você possa entender a importância do comércio exterior, no segundo semestre de 2013, a Inglaterra teve um crescimento imprevisto impulsionado pelo comércio exterior, as exportações tiveram uma alta de 3,6%. Em 2015, a Alemanha impulsionou seu PIB em 0,4% entre os meses de abril e junho, graças ao comércio internacional, noticia Flavio Maluf.

A globalização e o surgimento das multinacionais vieram para consolidar a importância do comércio exterior, nenhum país desenvolvido ou emergente pode ser indiferente ao comércio internacional. Um mundo sem fronteiras é a base para o desenvolvimento da economia mundial e do livre-comércio.

O livre-comércio é uma terra fértil para o comércio internacional, já que visa a criação de um mercado livre de restrições do estado. Como exemplo de uma restrição do estado, podemos citar o protecionismo, que busca proteger a indústria nacional, prejudicando a concorrência estrangeira, destaca Flavio Maluf.

Existem órgãos governamentais que regulam as operações de exportação no Brasil, entre eles temos a secretária da Receita Federal (SRF), responsável pelo controle tributário federal. O Banco Central do Brasil (BACEN), que fiscaliza as operações de câmbio realizadas por empresas brasileiras. Além deles temos o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), que procura executar programas de incentivo ao comércio internacional.

De acordo com o site do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Brasil e Argentina trabalham por um Mercosul (Mercado Comum do Sul) mais integrado ao mundo. Segundo a mesma fonte, durante a abertura da III Reunião da Comissão Bilateral de Produção e Comércio, o ministro Marcos Pereira afirmou que “Em um momento em que o mundo assiste ao retorno do protecionismo, é imperioso fortalecer a integração regional. Brasil e Argentina têm papel de liderança no Mercosul”, noticia Flavio Maluf. Cabe aos órgãos responsáveis pelas exportações no Brasil zelar pelo desenvolvimento do livre-comércio. Ações conjuntas entre países parceiros devem ser fortalecidas, incentivadas e reproduzidas em outras áreas.

Em 2016, o valor total das exportações e importações entre Brasil e a Argentina chegou a US$ 22,5 bilhões, noticia Flavio Maluf. São números como esses que fortalecem ainda mais o discurso a favor do livre-comércio. Em resumo, o livre comércio internacional, pode ser a esperança de crescimento econômico do qual o país necessita.

 

 

 

3 dicas para comprar na Black Friday

Em se tratando de descontos, a Brack Friday é a mais nova moda do momento. O movimento que surgiu inicialmente nos Estados Unidos, ganhou fama e muitos adeptos no Brasil. Ela tem como característica acontecer no final do ano, bem próximo a datas comemorativas como o Natal e o Ano Novo, além do que acontece sempre após o pagamento da primeira parcela do décimo terceiro salário. Obviamente, o festival de ofertas que acontece em diversas lojas, tem como objetivo principal aquecer a economia atraindo clientes para consumirem os produtos que antes custavam mais caros.

Quando se fala desse movimento, logo já se pensa em sair correndo e comprando porque a promoção irá acabar no mesmo dia. Evidentemente a promoção e os produtos em estoque, tem tempo de expiração bem rápido, mas não adianta comprar de forma impulsionada sem ter necessidade de adquirir o produto em si, ou até mesmo, perder uma oferta que poderia ser ainda mais vantajosa que a escolhida. Por isso, para você aproveitar a Black Friday sem ter arrependimento depois e aproveitar os melhores descontos, confira a seguir as 3 dicas pré Black Friday.

  1. Coloque no papel o que você quer comprar:

Anote tudo que quer comprar e que você sabe que terá na Black Friday. Existem diversos produtos hoje ofertados pelo desconto da Black Friday, então você deve anotar especificamente, após uma analise de custo-benefício do item que você quer comprar, cada produto seguido da marca, valores de referência em descontos ofertados pela mesma loja, e preços de outras lojas. Anotar os preços é extremamente importante, porque as lojas costumam aumentar o preço no mês que antecede ao evento, para abaixarem no dia da Black Friday para poder dizer que estão fazendo um desconto. Então saber os preços do produto em descontos realizados pela loja anteriormente, é imprescindível para você poder comparar com o desconto atual, e o mesmo vale para outros estabelecimentos. Faça uma média de valo para cada lugar que vende o mesmo produto que você deseja comprar.

  1. Avalie o dinheiro que você tem para comprar:

Esta dica vale principalmente para investimentos grandes, como a aquisição de um carro ou apartamento. Para produtos de grande valor, saber o quanto você tem para poder comprar facilitará no planejamento do pagamento. Avalie não somente o quanto você tem, mas se vale a pena investir e ainda mais, se vale a pena parcelar o restante. Dependendo do desconto, os juros das parcelas podem encarecer o produto de tal forma que sairia como se não tivesse nenhum desconto, então avalie antes de sair de loja em loja.

  1. Saber o valor do produto que você quer:

Antes do evento de descontos, o produto que você deseja já está disponível para você poder ver e comparar entre outras lojas. Parecido com a dica número 1, você precisa saber o valor real do item que deseja comprar, não somente em promoções, mas o quanto ele vale no dia de hoje sem nenhum desconto. Para uma analise ainda mais especifica, você pode fazer uma simulação, se você planeja pagar parcelado, do quanto o produto sairia hoje se você parcelasse ele. Dessa forma você poderá comparar também o parcelamento no dia da Black Friday.

 

Veja também dicas para não cair nas fraudes da Black Friday.

 

3 maneiras para usar o décimo terceiro

Quando ele chega, parece que todos os problemas estão resolvidos. O décimo terceiro é um benefício concedido aos trabalhadores no valor de um salário referente ao salário que recebe, sempre no final do ano como uma gratificação de Natal. Esse direito do cidadão é sem dúvida algo de grande ajuda nas finanças de todo mundo, sendo que a maioria dos beneficiados usam ele para pagar contas ou fazer as compras de fim de ano.

Se usado corretamente, o décimo terceiro fará uma diferença ainda maior no orçamento familiar. Além da maneira correta, esse planejamento de como usar o décimo terceiro deve ser feito já no começo do ano, e não quando está perto de receber. Esse é um erro que muitos cometem e acabam com o dinheiro rapidamente. Então se você tem direito ao benefício, mas não sabe qual a melhor maneira de usar esse dinheiro, confira a seguir 3 das melhores maneiras de usar o décimo terceiro.

  1. Quitar dívidas:

Se você está inadimplente, com muita conta para pagar ou com uma conta que consome quase todo o seu salário, não pense duas vezes em quitar ao máximo todas as contas que tiver. Pagar as dívidas será sempre uma prioridade quando se trata de um dinheiro extra, pois não interfere no orçamento familiar, além do que já acaba com uma dívida que você teria que pagar depois com o seu salário. Se o seu nome está sujo e pretende usar o dinheiro do décimo terceiro para limpá-lo, vale lembrar que uma boa negociação pode diminuir quase todos os juros e multas acarretados em sua dívida, para saber mais confira 3 dicas para limpar seu nome.

  1. Guardar para pagar as contas de início de ano:

Suas contas estão todas em dia e não há nenhuma dívida em seu nome, portanto, a melhor maneira para esse caso é guardar o dinheiro para que seja usado para pagar as contas que chegam no início de ano, como: IPVA, IPTU, matrícula, uniforme e material escolar, entre outros. Essa organização consiste em colocar em ordem de prioridade e do que é mais pesado de pagar, para que depois você fique livre dessa despesa. Faça uma lista dos gastos para saber o quanto irá precisar para pagar as contas e as organize para serem pagas à vista com o décimo terceiro. Se for pagar IPTU ou IPVA, saiba nesse vídeo qual a melhor maneira de pagar: à vista ou parcelado.

  1. Investir:

Não tem conta pra pagar e já tem o dinheiro definido para o pagamento das contas do início do ano, então esse dinheiro irá sobrar em seu orçamento. Mas para não gastá-lo desnecessariamente, investir é a melhor maneira de usá-lo. Além de colocar seu dinheiro como patrimônio, ele irá trabalhar por você, rendendo mais dinheiro para você poder desfrutar conscientemente. Para fazer o investimento, é preciso que seja estabelecido o quanto você quer investir, em que quer investir e o quanto terá para fazer isso. Para quem gosta de viajar, o ideal é investir em uma viagem no final do ano seguinte, podendo usar rendas fixas para que o dinheiro renda juros, dessa forma o montante será maior até o final do próximo ano. Os melhores lugares para investir para essa finalidade, é deixar em um CDB com liquidez diária, onde você pode tirar a qualquer momento, ou no Tesouro Selic, que irá render conforme a Selic. Mas o melhor investimento é a longo prazo, pensando em rendimentos para a aposentadoria, nesse caso, existem outros investimentos que proporcionam maiores prazos, além de maiores ganhos. Se você deseja investir esse dinheiro em sua aposentadoria, não deixe conferir como investir na aposentadoria de forma fácil e segura.

Publicitário brasileiro Alexandre Gama deixa função de WCCO na BBH

O publicitário e empresário brasileiro Alexandre Gama deixou o cargo de Worldwide Chief Creative Officer (WCCO) o qual havia assumido em 2012, na BBH – na ocasião ele sucedeu a Sir John Hegarty, isso depois da negociação da compra da rede BBH e 100% da agência Neogama/BBH pelo Publicis Groupe.

A ideia agora é que o publicitário se dedique totalmente à operação brasileira da Neogama, que, por sua vez, deixa de fazer parte da rede BBH e, consequentemente, abandona a nomenclatura de Neogama/BBH. Alexandre Gama, porém, segue com suas funções de Chief Executive Officer e diretor geral de criação. Ele retornou ao Brasil no início de janeiro para comunicar a equipe sobre o retorno à operação.

O empresário criou a Neogama em 1999 e ela foi a agência que mais cresceu no Brasil em seus três primeiros anos de existência. Em 2002, uma participação minoritária no empreendimento foi vendida à empresa francesa de publicidade e relações públicas Publicis Groupe, que em julho de 2012, concluiu a compra de 100% da agência – o grupo também comprou a rede inglesa BBH, fundada por John Hegarty, Nigel Bogle e John Nartle. Na época, Hegarty e Bogle deixaram as funções executivas na rede e, para comandar o trabalho criativo na criação global da BBH, escolheram o publicitário Alexandre Gama

O empresário brasileiro, desde então, estabeleceu-se no Brasil, entretanto as viagens para os outros seis escritórios da BBH no mundo – Cingapura, Mumbai, Londres, Los Angeles, Nova York e Xangai –eram constantes. Em 2016, porém, chegou ao fim o período de earn out – o nome refere-se à operação em que a liderança da parte adquirida concorda em continuar na operação durante um tempo pré-estabelecido e parte do pagamento do negócio baseia-se em resultados futuros. Desta forma, Alexandre Gama decidiu deixar o cargo.

Em comunicado, o publicitário declarou – “Naquela ocasião (em 2012) foi importante para todas as partes envolvidas que um dos fundadores das empresas que faziam parte da negociação seguisse em uma função executiva, demonstrando claramente o compromisso e a confiança no futuro após a aquisição. Essa transição e seus mecanismos contratuais de earn out terminaram e não há mais a necessidade de que eu siga coordenando os diretores de criação dos sete escritórios da BBH no mundo. Pelas mesmas razões, eu agradeci e declinei ao convite que me foi oferecido para assumir o cargo de chairman global do grupo BBH. Essa função exigiria ainda mais o meu envolvimento, principalmente nas atividades de coordenação dos escritórios nos distintos mercados”.

O CEO do Publicis Groupe, Maurice Levy, e Sir John Hegarty, que escolheu o publicitário brasileiro como seu sucessor também se manifestaram. “Fico sempre impressionado com o talento sui generis do Ale, de ser ao mesmo tempo um grande criativo e um empreendedor. A Neogama fará parte da Publicis Communications no Brasil e estou convencido de que a sua contribuição para o nosso crescimento e reputação nessa nova fase será fantástica”, destacou Levy sobre o trabalho de Alexandre Gama. Já Hegarty agradeceu a inspiração, orientação e compromisso do fundador da Neogama com a visão criativa – “Ele não é apenas um grande amigo, mas um colega que respeito muitíssimo. Tivemos muita sorte de tê-lo”, declarou Sir John Hegarty.

5 Dicas para aumentar seu salário

Pedir ou não pedir um aumento de salário é uma dúvida que passa pela cabeça de muitos trabalhadores. A dúvida consiste não somente pelo medo de não merecer, mas também por diversas inseguranças, ou até mesmo por ter o pedido negado alguma vez na vida. O fato é que diversos trabalhadores precisam de um aumento de salário e não sabem o que fazer para conseguir esse aumento.

Este artigo será de grande importância para quem está nesta situação e quer solucionar o problema. Primeiramente é preciso entender que para aumentar o salário, o trabalhador precisa ter algum valor no mercado. Uma pessoa que teve o pedido de aumento negado, possivelmente não tem um valor tão significativo para o mercado a ponto de receber um aumento. Portanto, para saber como aumentar o seu valor no mercado e consequentemente aumentar o seu salário, confira as 5 dicas a seguir.

  1. Não entre em grupos de fofoca: Por mais que pareça difícil para algumas pessoas, mas manter o profissionalismo dentro da empresa é indispensável e extremamente fundamental. Evite ter amizades com pessoas vulgares, aquelas que estão sempre falando da vida de outras pessoas, esse tipo de relacionamento além de ser ruim, ainda interfere diretamente no seu valor como funcionário. Mais importante nesta dica é não ser uma pessoa que faz fofoca, que compartilha a vida de outras pessoas ou que fica falando de sua vida pessoal abertamente de forma que outras pessoas poderão comentar sobre sua vida pessoal.
  2. Tenha amizade com pessoas extraordinárias: Aquelas pessoas que são suas admirações e que são o reflexo do que você busca ser, devem estar sempre próximas. Esse tipo de contato é muito relevante para você alcançar bons resultados na vida pessoal e no ramo profissional. Existem até estudos relacionados com o sucesso financeira de uma pessoa que tem um bom relacionamento com uma pessoa bem-sucedida.
  3. Aprenda línguas (preferencialmente o inglês): Pessoas que dominam outras línguas são muito mais bem vistas no mercado. Em se tratando das línguas, o inglês por ser o mais usado, é também o mais requerido entre as empresas, e quando se trata de ter valor no mercado, dominar essa língua irá agregar mais valor ao seu trabalho, mesmo que na sua empresa não seja necessário o domínio da língua. Além do inglês, é muito válido para aprendizado pessoal e profissional, ter o conhecimento de outras línguas, isso possibilita diversas experiencias de vida.
  4. Amplie seu vocabulário: Antes mesmo de aprender uma outra língua, saber falar bem o português e ter um bom vocabulário também contribui para a sua valorização no mercado. Quanto mais palavras você conhece, mais conexões seu cérebro cria, dessa forma mais ideias são criadas. O mercado busca profissionais que tenham ideias inovadoras, por isso não pondere em ampliar seu vocabulário. Para aprender não só palavras novas, mas também assuntos novos, leia sobre assuntos que você ainda não conhece, você irá ampliar suas palavras e seu conhecimento para poder conversar sobre qualquer assunto com qualquer pessoa.
  5. Procure agir de forma proativa: Ser proativo é mostrar-se eficiente, não somente trabalhar muito. A empresa sabe diferenciar uma pessoa que cumpre com o trabalho de uma pessoa que quer crescer dentro da empresa, por isso, se mostrar disposto a algo novo dentro da empresa ou mesmo contribuir com novas ideias te destacará dentre os outros funcionários, podendo assim aumentar o seu salário.

Veja 4 dicas para pediu um aumento de salário.

O que esperar do mandato de Donald Trump?

trump

Após a eleição de Donald Trump como 45º presidente dos Estados Unidos da América, o mundo sabe que vai enfrentar desafios económicos, sociais e políticos que podem alterar o panorama mundial como o vimos hoje. A incerteza sobre o que serão os próximos quatro anos de governo americano sob Donald Trump promete entusiasmar analistas e consultores de todo o mundo para prever quais as medidas e os acontecimentos que são mais prováveis de acontecer no futuro próximo.

Se por um lado a eleição de Donald Trump trouxe incerteza e insegurança ao povo americano, por outro lado veio animar as bolas mundiais muito por causa do que o empresário americano havia prometido durante a campanha eleitoral. A aposta no crescimento baseado na desregulação financeira e em cortes substanciais de impostos para empresas americanas foram medidas que agradaram aos ivnestidores mundiais, porém as palavras começaram a perder o seu efeito e os investidores esperam agora pelas acções e medidas do presidente eleito para tomar novas ações no mercado da bolsa e começa a existir a possibilidade de existir guerras comerciais entre EUA e outros países, como por exemplo a China ou até de multinacionais que estejam descontentes com o rumo das políticas implantadas por Donald Trump.

Para além disso, a promessa de revogar o programa de saúde denominado por ObamaCare irá trazer algumas consequências e ansiedade em perceber como Donald Trump irá remodelar este programa de saúde e torná-lo mais viável sem que os cidadãos americanos percam qualidade ao nível da saúde, portanto o próximo ano será vital para perceber qual o rumo que Donald Trump pretente dar.

Certo é que alguns analistas prevêm que Donald Trump cumpra um mandato semelhante ao mandato que Ronald Reagan cumpriu em 1986 ao apresentar um programa financeiro forte com as promessas que ele anunciou durante a sua campanha. Segundo Robert Barro, isso levará a um aumento de 3% a 4% anuais, contudo o problema está em saber como irá actuar o comércio internacional às políticas protecionistas americanas, principalmente com a reformulação do Tratado de comércio que existe entre os Estados Unidos da América, o Canadá e o México.